Cart 0
Fim dos Tempos

O FIM DOS TEMPOS ,

Estamos, pois, meus caros irmãos brasileiros, no princípio do fim. Tudo o que se escreveu no Apocalipse de São João é para estes tempos.

Em certa ocasião, minha Divina Mãe Kundalini, tomando a palavra, disse: “Já tudo está perdido. O mal do mundo é tão grande que já chegou ao céu. Babilônia, a Grande Rameira, a mãe de todas as fornicações e abominações da Terra, será destruída e de toda esta perversa civilização de víboras não ficará pedra sobre pedra”. (SAW in Mensagem ao Povo Brasileiro – 1976)

A raça ariana, ao invés de evoluir, involuiu; sua corrupção agora é pior que a dos atlantes. Sua maldade é tanta que já chegou aos céus. A raça ariana será destruída para que se cumpra a profecia que Ra-Mu fez na submersa Atlântida: “Se eles se esquecerem que devem ser superiores não pelo que adquirem, mas pelo que dão, a mesma sorte lhes caberá” (referindo-se à atual humanidade).

Os povos e as culturas da Idade da Pedra não são o princípio nem o fim do mundo; são apenas o declínio e a degeneração de riquíssimas civilizações anteriores. Isso ficou demonstrado pelos restos de culturas pré-históricas, pelos dados da filologia comparada, que mostram a surpreendente riqueza psicológica das línguas arcaicas, pelos documentos irrefutáveis da arte e da literatura antigas, dentre outros.

R$21,00

Para que ninguém se sinta enganado, precisamos esclarecer alguns fatos relevantes sobre este livro: Primeiro, o título original de FIM DOS TEMPOS é simplesmente Mensagem de Natal de 1967. Não havia, originalmente, um título oficial, ficando livre o editor de cada país para dar o nome que achasse mais conveniente. Segundo, primeira edição brasileira foi realizada em 1970, com o título A Noite dos Séculos, edição esta realizada pelo então Movimento Gnóstico Cristão Universal do Brasil, com sede em São Paulo. E tereceiro, recentemente, O FIM DOS TEMPOS foi renomeado em alguns países hispânicos, sendo que no Brasil este livro circula atualmente (em algumas escolas de gnose) com o nome de Corpos Solares porque este é um dos títulos dado a este livro em alguns países. Outra denominação que recebeu este livro (em alguns outros países), foi o de Sabedoria Gnóstica.

Quando decidimos traduzir e editar O FIM DOS TEMPOS, a partir da primeira edição original de 1967, publicada em espanhol, optamos, desde o início, pela denominação O FIM DOS TEMPOS – porque é exatamente disso que fala o autor nos primeiros capítulos. Mas não só por isso: na seqüência, o autor fala dos tempos apocalípticos ou tempos de revelação e de preparação espiritual para enfrentar os dias finais.

Tudo o que a humanidade está para vivenciar proximamente tem sido dito e mostrado claramente através de livros e filmes. Os maias falam do fim de um ciclo cósmico em 21.12.2012. O autor deste livro vem alertando sobre os tempos finais desde seu primeiro livro, escrito e publicado em 1950. Portanto, estamos às portas de grandes acontecimentos que mudarão radicalmente a face do planeta nos próximos anos.

Enquanto isso, em nosso entorno, o mundo desmorona em violências, crueldades, explorações, destruições e aviltamentos jamais vistos na história. Nem mesmo as duas guerras mundiais foram tão longe na quebra e rompimento de valores e condutas quanto nos dias atuais.

Se é destruição e morte o que busca a humanidade, a natureza irá entregá-las de mão beijada, liberando suas forças titânicas em forma de furacões, maremotos, terremotos, atividades vulcânicas, influências cósmicas, radiônicas e comportamentais – fenômenos esses que já se tornaram rotineiros em nossos dias, mas que, dia a dia, estão aumentando em intensidade e magnitude.

Para quem nada sabe ou nunca se interessou por estes temas, os primeiros capítulos deste livro já descrevem o que ocorreu há cerca de 12 mil anos, quando o resto da Atlântida foi destruído por terremotos e maremotos em escala jamais imaginada nem mesmo pelos roteiristas de filme-catástrofe.

Os registros dessas grandes tragédias mundiais estão por aí, espalhados pelo mundo. Existem evidências e registros no Egito, no México, na América Central, na Sibéria, no Alaska e também no Brasil, como bem relatam As Crônicas de Akakor. Porém, quem dá ouvido e leva a sério tais “lendas”? Quem efetivamente leva em consideração os fatos bem documentados dessas descobertas?

Sem dúvida, temos que esperar o desfecho dos acontecimentos; eles se precipitarão exatamente como previram os profetas e os cronistas antigos: A Terra irá cambalear como um ébrio; as montanhas voarão em pedaços; o fundo dos mares se elevará para formar novas terras; ondas gigantes de dezenas e mesmo de centenas de metros de altura varrerão as costas de todos os continentes; os pólos se tornarão zonas equatoriais, e estas, novos pólos gelados com animais tropicais conservados pelos milênios futuros ainda com seu almoço ou jantar no estômago.

O orgulhoso e arrogante homem de ciência atual acha que tudo sabe; por isso, despreza o conhecimento dos antigos, chamando-o depreciativamente de ‘superstição’. Para este ‘homem de ciência’, a Terra é obra do ‘acaso’, surgida nesta região do universo há uns cinco bilhões de anos, e que só recentemente reuniu condições de abrigar vida inteligente, após outro ‘acaso’ haver transformado macacos e chimpanzés em soberbos bípedes racionais.

Qualquer aprendiz de cosmogênese e antropogênese ensinadas nas escolas autenticamente esotéricas e iniciáticas sabe que a humanidade terrestre é muito mais antiga do que atestam ossos, pontas de flechas e artefatos de pedra polida. Sabem esses aprendizes da verdadeira antropologia, que a cronologia do surgimento do homem, apresentada pela ciência, é espantosamente ridícula e não resiste à mínima análise criteriosa.

O que se ensina por aí, nas escolas e universidades, é tão só uma ‘crença científica’ que em nada fica a dever a qualquer outra crença religiosa, tão combatida e criticada por essas mesmas supostas e esclarecidas inteligências.

Aos sedentos de informações sérias, abalizadas e bem documentadas sobre história da raça humana que certos setores mundiais não querem que seja conhecida, bem como o sumiço e o sistemático processo de ocultação de provas e evidências que destroçam as “crenças científicas” aceitas sobre a origem humana, como é ensinado nas universidades, costumamos indicar a obra de Michael

A. Cremo e Richard L. Thompson, denominada A História Secreta da Raça Humana publicada no Brasil pela Editora Aleph.

Ainda que os grandes temas da antropologia não seja o foco deste livro, não mais é possível ocultar as evidências de que a destruição universal, que está diante de nossos olhos, é cíclica e periódica, exatamente como documentam os maias, egípcios e outros povos antigos, cujos calendários sinalizam o ano de 2012 como o fim de um ciclo que sempre traz grandes e radicais transformações geográficas e telúricas.

O que jamais pôde ser predito é a escala ou as dimensões dessas mudanças, porque em cada ciclo elas são diferentes, exatamente como o são os demais fenômenos da natureza quando se inicia uma nova estação ou um novo ano solar.

Na IGB e também em conferências públicas, desde finais dos anos 80, temos falado e tratado dos temas contidos em O FIM DOS TEMPOS. Este é um tema sobre o qual acumulamos razoável conhecimento. O último seminário que realizamos sobre o tema dos ‘tempos finais’ foi no Seminário Especial de Páscoa de 2007, realizado em São Paulo, cujo áudio foi transcrito e se encontra em nosso site www.gnose.org.br. A transcrição desse áudio foi transformada em documento e circula hoje livremente pela internet com o nome de O Fim da Humanidade em 2012.

Este livro, que você tem em mãos, é relançado no Brasil num momento muito especial, por dois motivos:

1. O FIM DOS TEMPOS foi escrito há 45 anos quando falar do final dos tempos não causava nenhuma comoção; pelo contrário, fazia as pessoas bocejarem de tédio e desinteresse. Mas, agora, este tema se tornou inclusive argumento de grandes produções cinematográficas.

2. Os fatos mostrados pela televisão diariamente documentam cabal e exaustivamente tudo que se previa e se falava na época em livros como este.

Ao finalizar esta Apresentação, queremos sugerir a leitura atenta de três recentes lançamentos da IGB-Edisaw: Livro da Morte, Sim! Há Inferno, Diabo e Karma e Medicina Oculta.

Peso 0.27100000 kg
Dimensões 21.00000000 x 15.00000000 x 1.00000000 cm
Edição

Ano de lançamento

2011

Número de páginas

186 págs.

Catálogo da Fundação

Autor: Samael Aun Weor, 1917-1977. Título original: [Mensaje supremo de navidad 1967-1968. Português] Título / Barra de autoria: O fim dos tempos / Samael Aun Weor ; [tradução: Karl Bunn]. – Edição: 1. ed. – Imprenta: Curitiba : Edisaw 2011.  Descrição física: 186 páginas : il. ; 21cm. Notas: Tradução de: Mensaje supremo de navidad 1967-1968. Publicado anteriormente sob o título : A noite dos séculos. BNB 04/12  ISBN: 9788562455148 (broch.) Títulos variantes: A noite dos séculos  Registro Patrimonial: 1.365.015 DL 03/08/2012  Sigla do Acervo: DRG 

Seja o primeiro a comentar “O FIM DOS TEMPOS”